sábado, 24 de setembro de 2011

Vai valer a pena!


João definitivamente era o discípulo mais romantizado dentre os outros.
Suas palavras enchem de amor o nosso coração, quando as lemos em suas cartas, no evangelho e até mesmo no Apocalipse, com as suas visões, muitas vezes, amedrontadoras.   Ele escreve querendo realmente mostrar aos leitores quem era o seu Jesus e como se relacionavam, não se cansava de dizer que era o discípulo a quem Jesus amava, pois era assim que se sentia.  Era aquele que estava inclinado para Jesus, na última ceia, e trocavam confidências,  tamanha era a intimidade com seu mestre (Jo 13.13) .Uma das últimas pessoas que Jesus avistou lá do alto, da cruz do calvário, foi o discípulo amado, pois ele foi com Jesus até o final (Jo  19:26).  Quanta solidão João deve ter sentido, e quanta dor o seu coração teve que suportar. Não digo que os outros não tenham sofrido, mas por ser uma pessoa mais sensível, João deixa transparecer em cada palavra os seus sentimentos sobre Jesus.   Quando recebeu a notícia de que Jesus não estava no sepulcro, ele e Pedro foram correndo verificar, e ele correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro. (Jo 20:4) Imagino que seu coração palpitava ao se lembrar as palavras do mestre. Foi o primeiro a reconhecer Jesus, quando este  apareceu aos discípulos no Mar de Tiberíades (Jo 21.7) ." -É o Senhor! Gritou ele. Senhor,  neste texto não é simplesmente um pronome de tratamento. Reconhecer como Senhor  é  reconhecê-lo como seu dono (grego: Kyrios Título de Deus como dono de tudo o que existe, especialmente daqueles que são seus servos ou escravos Dic. da Bíblia de Almeida). João sabia como expressar o amor que sentia. Suas cartas são recheadas de palavras carinhosas e persuasivas a respeito do seu Jesus.  Suas palavras chegam a ser repetitivas, pois grande era sua ansiedade para que todos conhecessem Jesus como ele mesmo conhecia.
Mas João, como os outros, teve que suportar a ausência da pessoa de Jesus, embora Ele tenha deixado Seu Espírito Santo como consolador. Imagino que Jesus tenha deixado saudades entre todos. Suas palavras, seu rosto, seu toque. É assim que João o descreve aos seus irmãos: (O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam — isto proclamamos a respeito da Palavra da vida.  1 João 1:1)
Mas uma certeza João tinha no seu coração: ele O encontraria novamente! Jesus deixou esta esperança, e ele sabia ser verdadeira, pois conhecia a Jesus como ninguém. Ele declarou em sua carta:  “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.”( I Jo 3:2) 
Já no final de sua vida, por causa da perseguição ao evangelho, viveu em Éfeso, exilado. Já era bem velhinho na ocasião das visões do Apocalipse na ilha de Patmos e, mais uma vez, teve a graça de contemplar  o seu Jesus, em uma das suas visões: “Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: "Não tenha medo. Eu sou o primeiro e o último. “ Apocalipse 1:17.
Quanta saudade João carregava no seu coração e quanta emoção para um velho amigo e amado. Definição de saudades, segundo o dicionário:  Lembrança grata de pessoa ausente OU de alguma coisa de que alguém se vê privado.   
Se  pudéssemos conversar  com João, sobre as dificuldades,  as perseguições, as prisões que ele sofreu, a maneira com que as pessoas queriam deturpar o evangelho ( e por isso ele falava veementemente aos seus contra essas situações  e pessoas), eu tenho certeza que ele diria. Pelo meu Jesus, valeu a pena.

Eu não conheci Jesus como João conheceu. Não o ouvi, não contemplei seus olhos cheios de amor, suas mãos não apalparam as minhas,  como homem. Mas mesmo com estas privações, de não poder vê-lo pessoalmente, meu coração se derrete quando o sinto, através do Espírito Santo, quando penso nos seus olhos fitos nos meus, quando em meio as tribulações sinto uma presença gostosa ao meu lado, e sei que é Ele me confortando. Por isso meu coração sente saudade. Porque sei que não posso vê-lo como Ele é, AINDA. Mas esta esperança Ele deixou no meu coração. Um dia eu o verei, assim como Ele é, e direi: valeu a pena, meu Queridão!
Por Célia Soncella



Continue lendo >>

sábado, 10 de setembro de 2011

O que Ele encontrará?


"...Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" Lc 18.8b
Lucas 18.1-8

Apesar de muitas pessoas associarem o texto ao fato de que Deus atenderá sempre as nossas orações, se nunca deixarmos de orar,  o que de fato, é uma grande verdade, este texto fala principalmente sobre nós e nossas atitudes diante de um fato imutável: a volta de Jesus.
Temos pensado sobre isso? Como agimos diante do fato de que temos uma vida eterna?

O finalzinho do capitulo anterior a este, fala sobre  “a vinda do Filho do Homem”. Interessante que são poucas as pessoas, e até mesmo cristãs, que se atrevem a falar deste dia. Quando ouvimos algo do gênero, é quando uma pessoa suspira diante de notícias trágicas, ou da situação do mundo, ou frente às suas próprias dificuldades:  -Ah! Jesus podia voltar logo!
Quando ouço isso penso comigo: será que queremos que Jesus volte por amor, por desejo de estar ao seu lado? Ou simplesmente para fugir das lutas desta vida?

O que Jesus espera encontrar, na sua vinda?  Vamos analisar apenas três coisas, das várias que Ele espera encontrar:

Fé:  O texto não fala simplesmente da fé que crê em algo. Nós sabemos que apenas crer em Deus não nos salvará. Mas crer, obedecer, perseverar,  manter-se firmes e constantes, é o que nos levará até Jesus. Perseverança é a Palavra chave deste texto. Ele fala em manter a fé, mesmo em meio às dificuldades. A viúva não desistiu de insistir com aquele juiz  iníquo, como o próprio texto fala, mesmo sabendo que poderia não ter as suas petições atendidas.
Temos perseverado e esperado, mesmo quando aparentemente não temos resposta ás nossas orações?

Diferença: Povo seu especial, zeloso de boas obras. Tito 2.14: o texto de  Paulo a Tito traz várias recomendações sobre a vida cristã, recomendações estas indispensáveis a nós. O povo que Jesus espera encontrar deve ser diferente dos outros, pois foi pra isso mesmo que Ele se doou, como diz o versículo 14: “O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.”

Exclusividade:  Jesus nunca poderá levar um povo que tem a metade de seu coração nas coisas mundanas. E estas coisas são explicitamente mencionadas na Bíblia. Em Tiago 1.8 o termo usado para essa pessoa é dobre, inconstante, vacilante. Veja o que diz a versão NVI  “... homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos. “.  O versículo anterior diz: “não pense tal homem que alcançará do Senhor alguma coisa.”  Ou seja, Deus não é tolo, para acreditar em nossas promessas de momentos difíceis, ou nas variações de humor.
O nosso grande problema, mais forte em alguns, é que agimos conforme a situação pede. Ou seja, nos transformamos para o ambiente e situação em que estamos. Por isso se diz que ninguém conhece nem a si mesmo.
Não é isso que Jesus espera.  Onde quer que estejamos, frente a qualquer situação, Ele espera que escolhamos fazer a Sua vontade, e não a nossa.  Nunca podemos esperar ter o amor do mundo, se quisermos, de fato, seguir a Jesus. Ele mesmo deixou claro em S. João cap 15, que não é possível ter os dois. Ou você ama Jesus, ou ao mundo.
A nossa vida cristã não faz sentido, se não houver a esperança da Vinda de Jesus, e uma vida eterna ao Seu lado.
·         O que temos feito para que isso se torne realidade pra nós?
·         Temos esperado Sua vinda com alegria?
·         E mais importante: temos nos preparado para este dia?
 Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Você é Alegre?


Alguém denominou a carta aos Filipenses de “Epístola da Alegria”. A razão é o fato de a carta conter várias vezes as palavras alegria, regozijai-vos, estar alegre. E como Paulo repete estas expressões! Ele tem consciência disso e  assume o fato no cap. 3.1: ” Finalmente, meus irmãos, alegrem-se no Senhor! Escrever-lhes de novo as mesmas coisas não é cansativo para mim e é uma segurança para vocês.” 

Podemos dizer que Paulo era um homem realizado, pleno, feliz, alegre. 
Quando pensamos nessas características, imaginamos alguém realizado profissionalmente, bem casado, com uma família perfeita, com uma excelente situação financeira, muitos amigos, alguém com uma ótima aparência, muita saúde e sem problemas. Mas a situação de Paulo era justamente o contrário: não tinha família, recebia ajuda de outros para sobreviver, se considerava pobre, não tinha mais que um punhado de amigos, saúde frágil e vários problemas com as igrejas que lhe eram queridas, e, além de tudo isso: estava preso. Mas como é possível alguém nessa situação falar de alegria? Isso é inconcebível para as pessoas que não conhecem a Alegria Plena. São pessoas que vivem “momentos de alegria”, de prazer, de satisfação pessoal. 
Mas a vida com Jesus apresenta uma visão muito diferente do que é Alegria. A alegria independe da conta bancária, da realização pessoal, do sucesso profissional, do amor retribuído, do sentimento sarado, da saúde física, do número de amigos que realmente se importam. 
Mas o que realmente é alegria? O dicionário define a palavra como “manifestação de contentamento e júbilo” e “o que causa essa manifestação”. A Alegria causa as manifestações de alegria e júbilo, que são: o sorriso, a dança, o rosto animado, as festas... e não o contrário. Quando se vive das manifestações da alegria, ou dos momentos felizes, nada sobra quando os momentos difíceis aparecem. E eles aparecem! Então, percebe-se que muitas pessoas estão vivendo disso: dos momentos de alegria, deixando de lado o verdadeiro prazer de se viver uma vida plena, de alegria e paz. Somente andando e vivendo com Jesus, pode-se entender esse mistério, pois quando se fala em ser feliz e alegre, em situações difíceis, as pessoas nos olham incrédulas e sem nada entender. 
Pra mim, o ápice da carta de Paulo é o texto que está no capitulo 4.12-13 : “Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece.” 
Paulo entendeu que poderia passar por tudo que lhe era proposto, para se viver ao lado de alguém que poderia realmente trazer a verdadeira alegria: Jesus. ‎"Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente" Sl 16.11

Por Célia Soncella



Continue lendo >>

sábado, 3 de setembro de 2011

Quem é você?

     
Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves dos céus e a todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea."       Gênesis 2:20 

Deus fez todas as coisas, e no final da criação, já no sexto dia, fez o homem, e viu que havia feito um maravilhoso trabalho. No versículo 18 do cap 2. Deus viu que Adão estava só.  Claro, havia os animais, cada um com sua fêmea e Deus deu à Adão a incumbência de dar nome aos animais. Imagino Adão nomeando os animais, macho e fêmea. Mas  olhando pra si, via que não tinha mais ninguém da sua espécie. Estava só.
“Não é bom que o homem esteja só”  Disse Deus.              
Veja a sensibilidade de Deus: criou todas as coisas lindas, natureza, animais, separou céus, terra e mar e a bíblia ressalta que Deus olhava para toda a criação, tudo que criava com o poder de Suas palavras e via que tudo estava bom. Mas ao olhar para a solidão de Adão, Deus “viu” que ele estava sentindo falta de alguém igual a ele. E dentre tantos seres vivos que havia feito “não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea”. 
Nenhum daqueles seres vivos era bom o suficiente para ser companheira de Adão. Uma companheira, auxiliadora idônea para a obra máxima da criação de Deus, teria que ser à sua altura. 
Osso dos ossos e carne da carne de Adão. Tão importante e tão especial quanto ele. Foi assim que Deus criou a mulher. 
A mulher, tanto quanto o homem, é especial. Tantos textos da Palavra do Senhor afirmam isto, embora algumas mulheres não entendam, e deixam que os outros a tratem como não deveria ser tratada, embora muitos homens não entendam e tratem as mulheres da pior maneira possível. Mas esse não é o plano de Deus. Deus nunca desejou isso! 
Você, mulher, é pedra preciosa, menina dos olhos, tesouro escondido, princesa do Senhor... Nunca permita que alguém diga o contrário. 
Você é o que Deus diz sobre você!! Você foi feita de forma admirável e maravilhosa! ( Sl 139:14)   
Por Célia Soncella                             

Continue lendo >>

Total de visualizações de página

Ocorreu um erro neste gadget

  ©Ah! As doces palavras do Pai!! - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo