quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Há lugar para mim no teu coração?



O tão esperado Messias chegou em uma noite solitária. 
Não havia lugar para ele por conta do alistamento decretado por Cezar Augusto, e todas as estalagens estavam ocupadas.
O Salvador da humanidade, o Rei dos reis, foi recebido neste mundo apenas  por poucos  homens tementes a Deus, que foram agraciados pela maravilhosa notícia. 
Foi aclamado pelos anjos do céu porque sabiam quem era aquele menino tão especial.: 
“Glória Deus nas alturas, paz na terra aos homens a quem Ele quer bem.”  Lc 2 14
A nação que O aguardava tão ansiosamente, não percebeu quando Ele chegou.
Hoje não é diferente. Não... Ele não chegou no dia 25 de dezembro, como alguns acreditam. 
Mas se essa fosse realmente a data, não seria diferente daquela noite.
No dia em que se comemora o aniversário do nosso Salvador, o aniversariante é esquecido.
Todos ocupados e não há lugar para Ele em nossos corações. Correria, presentes, festas, preocupações!!!

Façamos deste Natal, e de todos os dias do ano, um momento propício à entrada de Jesus em nossas vidas. Não por um dia, não por um ano. Mas até o dia em que o veremos face a face. 
Que possamos dizer hoje: És bem vindo, Jesus, no meu coração!!
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sábado, 3 de dezembro de 2011

Você é perfeito?



Vivemos toda nossa vida, tentando chegar à perfeição. Antes que você negue esta verdade, pense comigo: quando fazemos algo, uma obra de arte, um  trabalho, ou no ministério, na igreja, ou na educação dos filhos (as mães hão de concordar comigo, certamente), depois do trabalho feito, sempre encontramos algo que poderia ter sido feito melhor. Isso se acentua em pessoas que gostam de fazer as coisas com excelência, ou pessoas muito detalhistas e, principalmente, no perfeccionismo em seu mais alto nível.  Queremos ser os primeiros, os melhores, os mais-mais. Não tente negar, em alguma área, ou alguma vez na vida todos pensaram ou pensam assim.
Conta-se que após terminar de esculpir a estátua de Moisés, Michelangelo passou por um momento de alucinação diante da beleza da escultura. Bateu com um martelo na estátua e começou a gritar: Porque não falas? (Perché non parli ?) O artista achou tamanha perfeição na sua obra de arte que sonhou com essa verdade. Mas a estátua não falou, é claro, pois não era tão perfeita quanto ele pensara.
Uma coisa que Deus tem me mostrado nesses últimos dias, é como tentamos mascarar o nosso caráter, nossas imperfeições. Como vivemos na hipocrisia, tentando ser o que nunca fomos e nem seremos, pelo menos enquanto vivermos nesta terra. Escondemos de nós mesmos os nossos sentimentos, defeitos, erros do passado, as vergonhas. Entre você  e Deus: não seria melhor se colocasse tudo na mesa, e dissesse: Deus, eis aí quem sou eu. Oh sim!  Ele sabe. Mas Ele quer que isso aconteça: que você e eu descubramos e assumamos quem somos em nossa essência.  
Nossa cultura nos ensina a escondermos nossos sentimentos e defeitos, para parecermos aceitáveis para as outras pessoas e até mesmo para Deus. Terrível engano! Escondemos nosso passado, tentando acertar no presente e acabamos acumulando problemas e feridas para o futuro.
A palavra hipocrisia significa:  Fingimento de bondade de ideias ou de opiniões apreciáveis.
Fingimento: eis a nossa essência. Fingimos alegria, contentamento, tristeza, ânimo  e até a nossa fé.
Quantas vezes nossa opinião varia de acordo com o ambiente, situação, e pessoas que nos cercam?  Quantas vezes passamos a pensar sobre Deus de acordo com a situação em que estamos vivendo?  Ele é bom se atende nossas petições, mas é ausente e maldoso, quando passamos por dificuldades.  Dificuldades, estas que deveriam ser enxergadas com naturalidade para nós que vivemos neste mundo. Por isso vivemos neste conflito com nossos jovens, porque a sua maioria não aprendeu a passar e, por isso, não sabe vencer as dificuldades.
O capítulo 12 de I Coríntios fala sobre a unidade do Corpo de Cristo, que é a” Igreja”, a soma das pessoas que estão ali com o mesmo propósito: adorar um único Deus.  Paulo mostra neste capítulo que todas as pessoas são incompletas, imperfeitas e precisam uma das outras, e todas precisam da cabeça, que é Cristo. Muito interessante esse capítulo, porque ele nos mostra que, por mais que tentemos, não somos melhores ou piores que os outros. Somos partes importantes de um “quebra cabeça” se é que posso chamar assim.  E cada um tem sua parte que cabe neste corpo. Os dons e talentos dados pelo Espírito Santo são muito importantes para nós, mas não nos torna perfeitos ou melhores que os outros. Paulo então diz: “ E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente.” I Cor 12:27b.
No capítulo 13, Paulo começa a falar sobre o amor. Mas não é o amor que julgamos conhecer.  Ele fala aqui de um amor inconcebível para nós seres humanos. Quantas vezes dizemos; eu amo quem me ama. Quem não me ama, não merece nem as minhas lágrimas.
Mas Jesus diz: ame seu inimigo, dê a outra face, viva para os outros.
O amor que pregamos viver, é um amor imperfeito. Por mais que tentemos, e devemos sempre tentar, nosso amor nunca se comparará ao amor ágape, que é o que Deus tem por nós. Até podemos fazer o que Jesus ordenou, dar a outra face, amar ao inimigo, fazer boas obras, ajudar os orfãos e viúvas, mas se isto for feito sem o Amor que Deus propõe, tudo isso se torna vazio. Os versículos 4 ao 8 lista uma série de coisas que é o amor: "O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, 5 não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; 6 não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; 7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor jamais acaba;”
Quem pode dizer que vive um amor assim? Mas não se desanime; o versículo continua dizendo que conhecemos “em parte”. Apenas uma partícula do amor de Deus é o que a melhor pessoa que já passou, ou passe por esta terra pode ser: apenas uma partícula.
Ok, não somos perfeitos e nunca seremos aqui nesta terra, mas vamos desistir?
A bíblia nos orienta: 
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. Mt 5.48,  Ficamos alegres sempre que estamos fracos, e vocês estão fortes; nossa oração é que vocês sejam aperfeiçoados.
II cor 13:9
Podemos e devemos caminhar para a perfeição, pois essa é a vontade de Deus.
O que devemos entender e querer:
Assumirmos que não somos perfeitos e nunca seremos.
Porém, somos aceitáveis perante Deus, por causa do sacrifício que Jesus fez na cruz do calvário, e não por mérito, mas por graça, amor incondicional de Deus.
Desejarmos caminhar para a perfeição, por amor, embora seja um amor cheio de imperfeições, Deus olha nossa intenção (tomemos cuidado com isso).
Entendemos que somente Aquele que é perfeito poderá nos fazer perfeitos um dia.
“...quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá. 

1 Coríntios 13:10.

 Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido. 

1 Coríntios 13:12 

Quando Jesus voltar, poderemos ser perfeitos. No corpo,na  alma e no espírito. Poderemos conhecer o amor em sua essência, não distorcido, como conhecemos. Conheceremos Jesus como Ele realmente é, plenamente, seu rosto, seu toque, seu sorriso.
Que chegue o Grande Dia em que seremos aperfeiçoados por Ele! Maranata!

Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sábado, 5 de novembro de 2011

Vigiar... Por quê?


Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não maniatar o valente; e então roubará a sua casa. Marcos  3:27”

O que significa vigiar?    Vigiar... Estar acordado, atento, velar por, estar alerta
Muitas vezes somos pegos de surpresa nas situações em nossa vida, simplesmente por  nos descuidarmos de coisas tão simples. Pode ser numa situação financeira, em que não cuidamos de como gastar o nosso dinheiro, ou numa situação de risco, quando não percebemos o perigo que nos ronda, como no caso de um ladrão à espreita. Na vida espiritual, quando constatamos que a paixão do primeiro amor se esfriou. Ou como nos descuidamos da nossa vida familiar e quando percebemos o amor já foi embora, as intrigas se multiplicaram,  e cada membro da família simplesmente ignora um ao outro. 
Na bíblia, encontramos vários textos, principalmente no A.T. sobre a preocupação em se colocar os vigias nas torres. Estas torres eram construídas em lugares estratégicos: no campo, para proteger a plantação dos ataques inimigos, no pasto para proteger os animais dos ladrões, e na entrada da cidade para proteger dos ataques militares. Sempre havia homens nestas torres para avisar sobre qualquer movimento suspeito que houvesse,  principalmente à noite. 
Como temos agido em nossa vida?  Temos  sido vigilantes em  todas as áreas? Em quais áreas devemos estar atentos?

Nossa vida espiritual: Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa  devorar. I Pe 5.8
Para estarmos preparados para vigiar nas outras áreas, o primeiro passo e estar com a nossa vida cuidada diante de Deus. Não nos adianta querer defender nossa família, filhos, lares, se nós mesmos estamos vulneráveis aos ataques do inimigo.  A recomendação de Pedro  “ Esteja atento! O perigo está aí!” 

Nossa família: Assim como  os vigias eram colocados em posições estratégicas para cuidar da plantação e animais, que garantiam o sustento das famílias daquelas cidades, devemos nos colocar em alerta para vigiar nosso lar. Quantas vezes olhamos pra vida dos nossos vizinhos, e apontamos o dedo para erros de seus filhos, esposas e esposos, e não olhamos pela nossa?  Quando percebemos, nosso lar está desabando e nós estamos olhando para os lados.
"Quando um homem forte, bem armado, guarda sua casa, seus bens estão seguros.” Lucas 11:21
“Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não maniatar o valente; e então roubará a sua casa. Marcos  3:27”
Temos sido o valente em nossa casa, ou Satanás tem entrado, nos amarrado, roubado  e nós estamos assistindo a tudo sem podermos agir?
A nossa liderança: Vemos que torres de vigia também era colocada à entrada da cidade, ao lado, enfim, à sua volta . Os vigias ficavam de prontidão para avisar ao rei sobre qualquer movimento suspeito ou ataques à cidade. Ou seja, a função deles, era proteger o rei.  Quando os inimigos vinham, a primeira coisa que atacavam era o palácio real, e tomavam o rei como refém, para que toda a cidade se  rendesse. Nada mais natural do que Satanás tentar  destruir a nossa liderança, para tornar vulnerável toda uma comunidade, pois ele sabe que se a liderança falhar, muitas pessoas enfraquecerão. Por isso a  bíblia recomenda que cubramos nossa liderança e toda a autoridade de oração, respeito e submissão.
“Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. 1 Timóteo  2:1-2
Quando o inimigo percebe que não respeitamos nossa liderança, ele sabe que estamos fora da cobertura desta liderança e de Deus, e nos tornamos alvos fáceis de seus ataques. Se não somos capazes de respeitar e nos submeter ao nosso líder que vemos, como podemos nos submeter ao Deus que não vemos? Esta é a mesma lógica aplicada por João:  "Se alguém afirmar: "Eu amo a Deus", mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê." 1 João 4:20
Deus  ordena em  Isaías 21:4-8 ,  "Vá, coloque um vigia de prontidão para que anuncie tudo o que se aproximar.Quando ele vir carros com  parelhas de cavalos, homens montados em jumentos ou em camelos, fique alerta, bem alerta".
Eis a atitude do vigia: Então o vigia gritou: "Dia após dia, meu senhor, eu fico na torre de vigia; todas as noites permaneço em meu posto.
Temos nos colocado de prontidão, vigilantes atentos, todos os dias, minutos e segundos de nossa vida? Será que, quando vier o inimigo, estaremos prontos para contra atacá-lo com as armas que Deus nos deu? Essas armas não são carnais. Não adianta atacarmos o inimigo com facas e pedras. Devemos ter a espada do Espírito que é a Palavra de Deus em nossos corações  em nossas mentes para lutar nessa milícia.   
Você está preparado?
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Toc, toc!

Vamos imaginar uma história comigo? Digamos que você é o convidado em uma festa em sua própria homenagem. Em uma situação de grande perigo, você salvou a vida de algumas pessoas, e por isso está recebendo esta festa. Porém  estas pessoas que estão ali, e que foram salvas por você, pensam que são ricos. São eles:  banqueiros, empresários, políticos, donos da Indústria farmacêutica e têxtil. Enfim, pessoas da alta sociedade. Se acham ricas  e poderosas.
Nesta festa você começa a não se sentir bem, pois as pessoas te ignoram,  são mesquinhas, conversam sobre suas próprias vidas, cuidam de seu interesse, fazem negócios, ostentam suas riquezas, e você não tem nada a ver com aquilo. Elas não se deram conta, mas você, que é especialista em Metais Nobres, mais especificamente Ouro Puro, é a pessoa realmente rica da festa,  porém, sua maior pretensão é estar perto das pessoas, e fazê-las se sentir bem, e contar como você está feliz por, em determinada situação, ter tido a oportunidade de salvar vidas, você quer contar uma boa história e seus planos para o futuro, mas essas pessoas não estão interessadas. Você, triste, sai do grande salão e vai até o jardim para respirar um pouco de ar puro, já que o ambiente está cheio, tenso e confuso. Quando você volta pra festa, vê que alguém fechou a porta, e nem percebeu que você está do lado de fora. Logo você, que é a estrela da noite. Você bate à porta e ninguém te ouve. Estão todos ocupados consigo mesmos. Eles nem estão sentindo a sua ausência.
                    -Então, por que mesmo estamos dando esta festa? 
                    -Oh sim, vamos falar mais sobre negócios!
Esta é a situação em que estava Jesus, quando pediu a João que escrevesse uma carta aos Laodicenses. Praticamente empurrado pra fora do coração daqueles “cristãos”. Esta era a mensagem insistente que Ele passou em Apocalipse  3.20

Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo. 

Geralmente utilizamos este versículo em evangelização pessoal, a quem ainda não é cristão.
Ouça! – dizemos às pessoas – Jesus está batendo na porta do seu coração! Porque você não o recebe? Entregue sua vida a Jesus!
Mas podemos perceber que isso foi escrito para Laodicéia, que  era uma comunidade de cristãos exatamente como os convidados desta festa: arrogantes, prepotentes, cheios de si. Era uma cidade próspera, rica, importante,  Era um centro bancário, e famosa pela produção têxtil  e, principalmente, pela escola de medicina que produzia  um colírio medicinal, extraída de uma pedra da própria região.
Jesus faz uma grave e triste constatação sobre os laodicenses:

Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca.
Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu.  Apoc  3:16-17


Estavam perdendo o melhor da festa, que era a presença de Jesus, que dera sua própria vida em favor daquelas pessoas.  Mas Jesus, sabendo que eles eram miseráveis e necessitavam de  compaixão, insistentemente batia à porta, esperando que abrissem e tivessem o prazer de fazer uma deliciosa refeição com Ele, e aconselhava:
Pobre  - Compre de mim ouro refinado no fogo e você se tornará rico!
Cego - Compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar!
Nu - Compre roupas brancas e vista-se, para cobrir a sua vergonhosa nudez!
Quantas vezes trancamos Jesus para fora do nosso coração? Demonstramos segurança, ostentamos  um olhar altivo, aparentamos não precisar da presença de Jesus e nosso coração está endurecido.
Mas Ele continua batendo à nossa porta. Quando vamos deixá-lo entrar para termos o prazer de sua companhia e termos as nossas necessidades espirituais supridas Nele?  Quando deixaremos  de ser auto suficientes,  para nos entregarmos  inteiramente ao seu trabalhar em nossas vidas? Quando deixaremos que Ele tire de nós o coração de pedra , e nos dê um novo coração, de carne? (Ezequiel 11:19)
Que tal tomar uma posição AGORA, de abrir a porta e receber Jesus com alegria? Lc  19:6
Ele está batendo ainda... Consegue ouvir?
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Volto logo!

Imagem retirada da Net A.D.

Continue lendo >>

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Apaixone-se outra vez!

Se encontrarem meu amado,
 diga-lhes que estou enferma de amor...(Ct 5.8)

O livro de Cantares retrata a história de amor, de um casal de noivos, muito singela e singular.
Um príncipe que se apaixona por uma plebéia. Uma típica história de amor, sonhada por todas as moças.
Lindas canções e juras de amor são relatadas ali. A noiva, incomodada com os olhares para a sua pele morena devido ao trabalho constante de sol a sol, pede que as outras moças do palácio não a julguem por isso.  Enquanto ela se preocupava com as outras eis o que o noivo pensava a seu respeito:
Eis que és formosa, ó amiga minha, eis que és formosa; os teus olhos são como os das pombas. (Ct 4.1)
O noivo a levou ao seu palácio, ao lugar de banquete, e em clima de festa lhe mostrou todo o seu amor.
Como uma moça simples, ela se mostrava envergonhada pela sua aparência, e intimidada pela beleza e riqueza do palácio. Mas o noivo a incentivava:
Pomba minha,  que andas pelas fendas das penhas, no oculto das ladeiras, mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e a tua face, aprazível. (Ct  2.14)
A noiva reconhecia a voz do seu amado, (Cantares 2.8) e seu coração estremecia por amor dele. (5.4). Seus sonhos era para o seu querido, e nas madrugadas, em sonhos, quando não o encontrava, ela o buscava constantemente, chamava por ele, até encontrar “aquele a quem ama a minha alma”. (3.1-4).
Esta história de amor repleta de poesias cantadas pelo noivo, a noiva, os amigos do noivo e da noiva e de suas famílias, não te lembra alguma história?
A mim, me lembra a minha própria história. Meu Amado que me conheceu “queimada de sol”, sofrida e sem esperança. Sim, Ele me amou. O que Ele viu em mim? Beleza, olhos cansados e à procura de um amor que vale a pena. Ele me levou ao seu lugar secreto e demonstrou todo o Seu amor. Seu lugar secreto era um Jardim, O Jardim do Getsêmani, cujo significado é  Lugar onde se prensa o azeite,  e é onde sua alma foi prensada. Lá onde ele decidiu por mim. ele poderia ter optado pela Sua liberdade, por não sofrer na cruz do calvário, mas ele deu a Sua vida por me amar. Me encontrou na fenda das penhas, escondida, com medo, e me chamou com a Sua voz doce e agradável. Eu ouvi a Sua voz e logo aprendi a reconhecê-la quando me chamava, e meu interior estremecia por amor Dele. Como borboletas no estômago, sabe? Como dizem de quem está apaixonado.
O buscava constantemente e tinha certeza do Seu grande amor.
Mas como aconteceu com a noiva de cantares, no capitulo 5, muitas vezes sou indiferente com meu Amado. O poema conta de como ela fingiu indiferença com seu noivo, e não atendeu ao seu chamado quando este veio bater a sua porta. Ela deu a desculpa de que já estava deitada, e não queria “ser incomodada”. Somente quando ele foi embora e ela não conseguia mais ouvir a sua voz, se deu conta de que estremecera de amor por ele.
Quantas foram as vezes que fiz o mesmo, e  deixei meu Amado se ir? Depois a solidão que abate a alma, e o estremecimento pela ausência do Querido. Uma dor enorme e um desejo de encontrá-lo mais uma vez.
Se encontrarem meu amado, diga-lhes que estou enferma de amor...(Ct 5.8)
É assim que ficamos sem Ele: se não ficamos desfalecidos de amor, ficamos doentes por causa da contaminação do mundo.
No capítulo 6 é dado o paradeiro do noivo: ele estava no jardim, onde, talvez estivesse relembrando os momentos que ali passara com a sua noiva. Quando ele a vê, lhe faz elogios e diz a ela o quanto a sua beleza é perturbadora. Novamente ele lhe fala sobre o seu amor que pertence somente a ela.
O amor de Jesus é incondicional. Observa-se que no poema, o noivo não censurou a sua noiva, apenas confirmou a ela o amor, e como a estava esperando. Assim como meu Querido, que não censura, nem despreza ou abandona aquele que o busca com ansiedade, sinceridade e estremecimento no coração. Ao contrário, Ele mesmo faz o convite:
 “Venha, beba de graça da água da vida.” Ap 22.17
GRAÇA– Inexplicável e imensurável GRAÇA! Imerecida e abundante GRAÇA!
No lugar secreto, no Seu jardim: este é o lugar que Jesus espera me encontrar. (Gn 3.8)  ali me fala do seu amor. E pede que eu não me esconda da Sua presença
Você está escondida como uma pomba  na fenda de uma rocha.  Mostre-me o seu rosto;
 deixe-me ouvir a sua voz;  pois a sua voz é suave,  e o seu rosto é lindo. (Ct 2.14)
Apesar de toda minha indiferença para com o meu Noivo, Ele deseja se encontrar comigo, olhar nos meus olhos, segurar a minha cabeça com suas mãos e recostá-la junto ao Seu coração.
O que é necessário para que isso aconteça? –Borboletas no estômago. Coração estremecido de amor, buscar até encontrar, aguardá-lo ansiosamente todos os dias, horas, minutos e segundos!
Apaixonar-se novamente, dia após dia...
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Isso não é justo! (?)

O livro de Jonas conta uma daquelas histórias que nos fazem corar de vergonha, ao mesmo tempo em que nos prostramos perante Aquele que é digno de toda honra e glória.
Jonas: um homem teimoso, amargurado, insensível, preocupado com seus próprios problemas, alheio às dores do próximo. Você se identificou  com ele?  Eu sim.
Nínive era a capital da Assíria, que desde muito tempo, era  inimiga do povo de Israel. Várias vezes guerrearam contra os israelitas, o que os fazia “personae non gratae” a qualquer judeu que se prezasse.
Sabendo que este povo era perverso e não sabia distinguir entre o bem e o mal, Deus ordenou a Jonas que profetizasse a destruição daquela cidade.
Jonas fugiu. Quem poderia imaginar que se pudesse fugir da presença do Senhor? Somente alguém que não tem uma completa noção da soberania de Deus pudesse achar isso. Naquele tempo acreditava-se que os vários deuses que havia, tinham poder incontestável  somente no local em que eram conhecidos e adorados (Comentário bíblico Vida Nova), e talvez esse fosse o motivo porquê Jonas tivesse fugido. Mas como disse certo homem segundo o coração de Deus: Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Salmos 139.7
Nesta jornada, Jonas descobriu quem era o verdadeiro Deus com quem ele estava começando a se relacionar.
Depois de uma experiência singular, e de uma oração dramática, Jonas voltou para fazer o que Deus havia lhe ordenado. Chegou àquela importante cidade e, por um dia inteiro, começou a proclamar a Sua destruição. Vemos aqui, que Jonas ainda estava fazendo o que lhe havia mandado, não por misericórdia ou por amor, pois ele estava proclamando a destruição da cidade e não pregando o arrependimento. Mas para sua surpresa, o coração daquele povo começou a se mover, e a se humilhar diante de Deus. Eles creram naquela palavra e decidiram se humilhar diante de Deus. Talvez não estivessem totalmente arrependidos de seus pecados ainda, pois o texto mostra que eles ficaram com muito medo e decidiram que se converteriam ao Senhor. Mais surpreso ainda ficou Jonas quando Deus não fez o que havia intencionado.
“Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.”  Jonas 3.10
A palavra neste texto “arrependeu” (nacham) , significa que Deus sentiu compaixão, pena daquele povo ao ver suas lamentações. E Jonas, como bom legalista que era, não se conformou com esse fato e “fez beicinho” e disse: Eu sabia!! Não disse que o Senhor se arrependeria? Isso é justo, Senhor? E novamente correu para longe. A Bíblia diz que ele saiu da cidade e se colocou ao oriente e ficou lá, esperando pra ver que aconteceria.
 –Será que agora Deus “cai em si” e resolve destruir essa cidade de uma vez? Quem sabe esse não seria o pensamento de Jonas!
Mas para o SENHOR, como neste livro é descrito Yehovah (Deus verdadeiro), não há limites para presentear a todos com a Sua graça incondicional.  Deus tratou novamente com Jonas: fez nascer uma planta para lhe fazer sombra e trazer conforto, o que deixou Jonas alegre e satisfeito. Mas no outro dia, a planta se secou, e novamente o amigo Jonas reclamou: Deus, quero morrer! Não vale a pena viver!
Nesse momento Deus mostra o que é a sua justiça:
Jonas você nem se deu ao trabalho de plantar e está reclamando e se preocupando com a planta que morreu? Imaginou que Eu não me preocuparia com essa cidade onde habita pessoas as quais  eu amo, e que não sabem discernir o bem do mal?
A bíblia não relata como Jonas recebeu essa palavra. O que disse, o que pensou, se ele se arrependeu... Mas eu teria corado de vergonha, como o estou agora, ao imaginar como julgamos as pessoas que Deus ama e pelas quais deu Seu filho Jesus. A mim não custa nada a salvação de uma pessoa, mas para Deus custou o sangue de Jesus, seu amado filho. Porque não posso amar as pessoas que Deus ama? Porque só consigo amar aquelas que são “parecidas” comigo, que são aceitáveis aos meus olhos?  Porque não conseguimos entender que TODOS pecaram e carecem da glória de Deus? (Rm 3.23) 
Isso é Verdadeira e Maravilhosa Graça. Isso sim é justo diante de Deus!
Por Célia Soncella



Continue lendo >>

sábado, 15 de outubro de 2011

Gratidão


"Sem dúvida eles são o meu povo", disse ele; "são filhos que não me vão trair"; e assim Ele se tornou o Salvador deles.Em toda a aflição do seu povo Ele também se afligiu, e o anjo da Sua presença os salvou. Em Seu amor e em Sua misericórdia Ele os resgatou; foi Ele que sempre os levantou e os conduziu nos dias passados.
Apesar disso, eles se revoltaram e entristeceram o Seu Espírito Santo. “Isaías 63:7-10

Quando um filho nasce e seus pais o tomam nos braços, uma paz profunda reina em seus corações. Ao olharpara aquele ser tão lindo e indefeso, o único pensamento é de que, a partir deste momento, suas vidas não serão as mesmas.  Os pensamentos sobre uma criança são sempre bons, de paz, de alegria. O texto de Isaías 63.8 retrata exatamente este quadro: um pai que olha seu filho no berço e pensa: “esse é o meu filho, e ele vai me dar muitas alegrias! Todos poderão me trair e me decepcionar, mas  não o meu querido filho!”
Neste texto, Isaías também conta a trajetória de vida deste Pai e filho, de como as dificuldades do filho também afetaram ao Pai (vers 9), e de como Ele mesmo se colocou frente às aflições, salvou seu filho, o amou e o resgatou, de como o tomou em seus braços e os conduziu. Mas, como processo natural esse filho cresce, e em seus olhos não há mais a mesma pureza e dependência. Ele começa a achar que consegue caminhar sozinho e não precisa da ajuda de ninguém. O texto fala, com pesar,  que mesmo o Pai fazendo tudo pelo filho, este se revoltou contra Ele e entristeceu seu Espírito Santo (vers 10a).
Este é o nosso retrato hoje: nosso Pai nos olhou profundamente nos olhos e disse: "esse é meu filho. Ele sempre será grato a mim.  Darei a ele  meu amor e misericórdia, pois é meu amado. Eu o protegerei todos os dias. Suas dores serão as minhas, suas decepções não passarão despercebidas. Serei seu consolo e esperança. Eu o cuidarei e o amarei."
Mas nós lhe viramos as costas e passamos a viver dissimuladamente, pela nossa própria vontade, sem nos importarmos com os sentimentos do Pai  e,  quando começamos a sentir as conseqüências  de se viver longe de Deus, começamos a questionar Sua existência e Seu amor. E, como o povo de Israel,  na continuação deste texto, queremos “lembrar” Deus de suas promessas, Seus feitos, Seu “dever” de nos proteger e amar, como Pai que é.  Temos vivido como filhos mimados, inconseqüentes,  arrogantes e que justificam a todo o tempo, em cada passo errado, acham que, aconteça o que acontecer, seu Pai deve fazer a sua vontade.
Mas,  como bom e perfeito Pai  Ele nos deixa, muitas vezes,  com as conseqüências de nossos próprios erros.
O capitulo 64 de Isaías, mostra o completo arrependimento deste povo. Maravilhoso este texto de profundo anseio pela presença do Pai:

 Ah, se rompesses os céus e descesses! Os montes tremeriam diante de ti! Somos como o impuro — todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniquidades nos levam para longe. Isaías 64:1,6 

No momento em que reconhecemos essa deficiência, e de que não podemos caminhar sozinhos, longe do amor do Pai, desejamos como nunca, ser como aquela criança em Seus braços, longe de qualquer perigo, sem pretensões. Reconhecemos que somos Dele e Ele tem o direito de nos trabalhar conforme a Sua vontade.

 Contudo, Senhor, tu és o nosso Pai. Nós somos o barro; tu és o oleiro.Todos nós somos obra das tuas mãos.  Isaías 64:8

Como poderemos viver assim? Como filhos nos braços do Pai?
O versículo 7 do cap 63 nos diz: “Celebrarei as benignidades do Senhor e os seus atos gloriosos...”
A palavra “celebrarei” aqui, significa lembrar, recordar, trazer a memória, fazer um memorial.  E é isso que devemos ter em nossa mente e coração: Gratidão. Com esse sentimento, poderemos tranquilamente viver eternamente nos braços do Pai. Gratidão por ter nos criado a Sua imagem e semelhança, pelo Seu Espirito Santo, pelo presente da salvação em Cristo Jesus... Quantas coisas temos para agradecer!
Consegue se lembrar de alguma? Que tal expressar ao Pai agora a sua gratidão?
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Onde eu possa ouvir Tua voz...


O meu coração está cheio de medo, e o pavor da morte cai sobre
 mim. Sinto um medo terrível e estou tremendo;  
o pavor tomou conta de mim.
Ah! Se eu tivesse asas como a pomba, voaria para um lugar 
de descanso!  Fugiria para bem longe e moraria no deserto.  Bem depressa procuraria achar  um lugar seguro para me esconder da ventania e da tempestade.  Salmos 55:4-8

Quando Davi escreveu esta canção estava escondido  em um lugar chamado Zife  e fugindo de seu opositor Saul  (I Sm 23:19-23). Os homens daquele lugar foram ao rei e denunciaram a presença de Davi em suas terras.  Saul saiu no encalço de Davi e seus homens, e quando estava para pôr as mãos neles, alguém chegou e disse que os filisteus haviam invadido as terras do rei. Saul, por ora, abandonou o seu intento.
Indiscutivelmente, este cântico dramático tinha suas razões de sê-lo. Davi realmente via a morte de perto, e em oração clamou a Deus expressando com toda a sua alma o que ele sentia. Por  ter esse coração inclinado a Deus e sincero, era chamado o homem segundo o Seu coração, reconhecido pelo próprio Deus (At 13.22). Quantas de nossas orações são sinceras assim? Digo isso porque Davi reconheceu sua pequenez e expressou todo seu medo e pavor naquele momento desejando ser uma pomba para voar e fugir dali, e ir para o deserto. Fiquei pensando: por que não desejou ser uma águia, que voa alto e majestosamente? Uma pomba é símbolo de simplicidade, ingenuidade, isenta de maldade.  E por que ele desejou ir para o deserto. Não é do deserto que todos nós fugimos?
Pesquisando sobre as pombas, descobri que ela faz seu ninho em qualquer lugar que seja protegido de frio e chuva, ou seja, não há pretensões em seu coração, apenas quer se sentir segura. O salmista sabia que fugindo para o deserto, lugar de intenso calor durante o dia, e frio cortante durante a noite, poderia encontrar abrigo em alguma rocha que lá houvesse. Ele sabia que Deus era a Rocha onde ele poderia se refugiar, e por várias vezes cantou essa verdade sobre Deus.

 Desde os confins da terra eu clamo a ti, com o coração abatido; 
põe-me a salvo na rocha mais alta do que eu. Sl 61.2

Quantas vezes desejamos como Davi fugir para bem longe, onde não há dor, guerra, traições, imperfeições, tragédias, falsidades, hipocrisias, apenas para estar num lugar seguro, quieto e em silêncio por alguns instantes? Com toda essa correria do dia a dia, pouco tempo temos para refletir, para estar a sós com Deus. Quantas vezes nossa alma clama por um tempo a sós, onde poderemos ouvir a voz do Pai amado ao nosso coração, mesmo que seja no deserto? Esse é também o desejo  Dele.

 Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. Oséias 2.14

Desejo ardentemente que Ele  me leve  à Rocha mais alta do que eu, o lugar da Sua habitação, em Sua presença e, como Maria, desejo estar aos Seus pés, para simplesmente ouvir a Sua voz. (Lc 10:39) 
Você está disposto a ir com Ele, onde Ele quiser levá-lo, apenas para falar-lhe ao coração? Um lugar onde você possa ouvir a Sua doce voz?  Por que não agora?

Continue lendo >>

sábado, 8 de outubro de 2011

Onde temos buscado o conhecimento?



“Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, 
segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, 
e não segundo Cristo;”
Colossenses 2:8


Nós nos orgulhamos de ser a geração que tem acesso às informações e ao conhecimento desde os tempos mais remotos. Isso é mesmo uma grande conquista. Vemos crianças, desde pequenas, manuseando tranquilamente um computador, ou qualquer outro equipamento tecnológico. Em outros tempos, a únicas fontes de informações disponíveis eram impressas. Hoje a tecnologia está avançando a cada dia. Internet, comunicação via rádio e infinitas maneiras de se buscar a informação e o conhecimento. O ser humano tem uma grande necessidade disto, e por causa dessa ânsia de conhecimento, nasceram os filósofos, que buscavam desvendar esse mistério que é o ser humano e a necessidade intrínseca de “Algo mais”. Alguns chamam de Transcendente, Ser superior, Divino. Alguns escreviam suas teses, se equivocavam, como até hoje, e outros chegavam à simples conclusão de que era pequeno demais para esse mistério. Alguns diziam que a Divindade estava dentro de si mesmo, ou seja, todos são deuses. Ou a divindade está em todas as coisas, na natureza, no mundo, o chamado panteísmo.  Nestas tradições filosóficas não se acredita em um Deus pessoal, mas impessoal. Outras tradições chegaram a triste conclusão que simplesmente não existe essa “divindade”.
Paulo se preocupava muito com essa questão. Ele estava preso, quando escreveu a carta aos Colossenses alertando  sobre as vãs filosofias que chegavam até aos cristãos, na sua maioria gentios, recém convertidos através de um trabalho evangelístico feito por Epafras. (Cl 1.7). Paulo, mesmo preso, ouvia falar da fé que havia nos  irmãos colossenses , mas havia uma grande preocupação com as heresias que começavam a surgir entre eles.  Não é diferente em nossos tempos. Mencionei e avanço da tecnologia porque entendo que hoje temos muito acesso às informações, mas pouco conhecimento, que é o que realmente necessitamos muito nestes tempos. Quantas vezes nós, cristãos, buscamos todos os dias, em reflexões, mensagens confortantes, textos de auto-ajuda, vídeos, áudios, etc, o conhecer a Deus, mas quantos de nós pegam a bíblia, oram e pedem ajuda ao Espírito Santo para entender e conhecer ao nosso Deus? É claro que todos esses recursos que citei são muito importantes para nós, e como tem nos ajudado, mas tudo será em vão e passageiro se não nos alimentarmos da Palavra de Deus e não buscarmos a sua revelação pra nós. Porque nosso Deus é um Deus pessoal, que trata conosco individualmente e conforme necessitamos, e através da Sua Palavra, que é a Bíblia Sagrada, hoje tão disponível pra nós que vivemos num país livre. Pra onde nos movemos, a bíblia está ao nosso alcance. Até bíblia à prova d’água existe. Ótimo pra ler enquanto descansa numa banheira ou numa piscina! E mesmo a bíblia sendo de tão fácil acesso, quanta gente com fome, sem conteúdo e sem esperança! Fico envergonhada quando leio sobre nossos irmãos que não podem ter acesso a este tesouro, e mesmo assim, dividem as suas bíblias rasgando suas páginas para que possam lê-las escondidos, nas prisões onde estão por amor ao evangelho e a Jesus. E nós o que temos feito com nossas bíblias de estudo, da criança, bíblia jovem, do ministro, da mãe, do pai, da vovó, do surfista, de bolso, em ordem cronológica, bíblia de luxo, no MP3, no celular, em áudio e etc...?

“Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos.
Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos. “
Salmos 119:5-6


 Dizemos como o salmista: quem dera!! Mas até quando vamos dizê-lo? Porque não agimos e buscamos ao Senhor da Sua fonte? A Bíblia é rica, atual, e aquele que lê-la não fica louco como dizem os ignorantes. A não ser loucos de esperto! A verdadeira sabedoria é daqueles que a buscam em Deus, porque Ele é a fonte de toda a sabedoria e o conhecimento.

"Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo. Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação. Entendo mais do que os antigos; porque guardo os teus preceitos."
Salmos 119:98-100

Em dias de tanta informação, necessitamos ler a Palavra do Senhor, pois muitas coisas são ensinadas, e tentam incutir na nossa mente que não precisamos deste Deus pessoal. Como você poderá confrontar ao que tentar tirar essa verdade de dentro de você?

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra. 
Salmos 119:42


Leiamos  a Palavra, para conhecermos a Deus, para que não sejamos envergonhados diante do inimigo e das pessoas, e  para entender a boa, perfeita e agradável vontade de Deus pras nossas vidas. 
Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sábado, 24 de setembro de 2011

Vai valer a pena!


João definitivamente era o discípulo mais romantizado dentre os outros.
Suas palavras enchem de amor o nosso coração, quando as lemos em suas cartas, no evangelho e até mesmo no Apocalipse, com as suas visões, muitas vezes, amedrontadoras.   Ele escreve querendo realmente mostrar aos leitores quem era o seu Jesus e como se relacionavam, não se cansava de dizer que era o discípulo a quem Jesus amava, pois era assim que se sentia.  Era aquele que estava inclinado para Jesus, na última ceia, e trocavam confidências,  tamanha era a intimidade com seu mestre (Jo 13.13) .Uma das últimas pessoas que Jesus avistou lá do alto, da cruz do calvário, foi o discípulo amado, pois ele foi com Jesus até o final (Jo  19:26).  Quanta solidão João deve ter sentido, e quanta dor o seu coração teve que suportar. Não digo que os outros não tenham sofrido, mas por ser uma pessoa mais sensível, João deixa transparecer em cada palavra os seus sentimentos sobre Jesus.   Quando recebeu a notícia de que Jesus não estava no sepulcro, ele e Pedro foram correndo verificar, e ele correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro. (Jo 20:4) Imagino que seu coração palpitava ao se lembrar as palavras do mestre. Foi o primeiro a reconhecer Jesus, quando este  apareceu aos discípulos no Mar de Tiberíades (Jo 21.7) ." -É o Senhor! Gritou ele. Senhor,  neste texto não é simplesmente um pronome de tratamento. Reconhecer como Senhor  é  reconhecê-lo como seu dono (grego: Kyrios Título de Deus como dono de tudo o que existe, especialmente daqueles que são seus servos ou escravos Dic. da Bíblia de Almeida). João sabia como expressar o amor que sentia. Suas cartas são recheadas de palavras carinhosas e persuasivas a respeito do seu Jesus.  Suas palavras chegam a ser repetitivas, pois grande era sua ansiedade para que todos conhecessem Jesus como ele mesmo conhecia.
Mas João, como os outros, teve que suportar a ausência da pessoa de Jesus, embora Ele tenha deixado Seu Espírito Santo como consolador. Imagino que Jesus tenha deixado saudades entre todos. Suas palavras, seu rosto, seu toque. É assim que João o descreve aos seus irmãos: (O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam — isto proclamamos a respeito da Palavra da vida.  1 João 1:1)
Mas uma certeza João tinha no seu coração: ele O encontraria novamente! Jesus deixou esta esperança, e ele sabia ser verdadeira, pois conhecia a Jesus como ninguém. Ele declarou em sua carta:  “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é.”( I Jo 3:2) 
Já no final de sua vida, por causa da perseguição ao evangelho, viveu em Éfeso, exilado. Já era bem velhinho na ocasião das visões do Apocalipse na ilha de Patmos e, mais uma vez, teve a graça de contemplar  o seu Jesus, em uma das suas visões: “Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: "Não tenha medo. Eu sou o primeiro e o último. “ Apocalipse 1:17.
Quanta saudade João carregava no seu coração e quanta emoção para um velho amigo e amado. Definição de saudades, segundo o dicionário:  Lembrança grata de pessoa ausente OU de alguma coisa de que alguém se vê privado.   
Se  pudéssemos conversar  com João, sobre as dificuldades,  as perseguições, as prisões que ele sofreu, a maneira com que as pessoas queriam deturpar o evangelho ( e por isso ele falava veementemente aos seus contra essas situações  e pessoas), eu tenho certeza que ele diria. Pelo meu Jesus, valeu a pena.

Eu não conheci Jesus como João conheceu. Não o ouvi, não contemplei seus olhos cheios de amor, suas mãos não apalparam as minhas,  como homem. Mas mesmo com estas privações, de não poder vê-lo pessoalmente, meu coração se derrete quando o sinto, através do Espírito Santo, quando penso nos seus olhos fitos nos meus, quando em meio as tribulações sinto uma presença gostosa ao meu lado, e sei que é Ele me confortando. Por isso meu coração sente saudade. Porque sei que não posso vê-lo como Ele é, AINDA. Mas esta esperança Ele deixou no meu coração. Um dia eu o verei, assim como Ele é, e direi: valeu a pena, meu Queridão!
Por Célia Soncella



Continue lendo >>

sábado, 10 de setembro de 2011

O que Ele encontrará?


"...Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" Lc 18.8b
Lucas 18.1-8

Apesar de muitas pessoas associarem o texto ao fato de que Deus atenderá sempre as nossas orações, se nunca deixarmos de orar,  o que de fato, é uma grande verdade, este texto fala principalmente sobre nós e nossas atitudes diante de um fato imutável: a volta de Jesus.
Temos pensado sobre isso? Como agimos diante do fato de que temos uma vida eterna?

O finalzinho do capitulo anterior a este, fala sobre  “a vinda do Filho do Homem”. Interessante que são poucas as pessoas, e até mesmo cristãs, que se atrevem a falar deste dia. Quando ouvimos algo do gênero, é quando uma pessoa suspira diante de notícias trágicas, ou da situação do mundo, ou frente às suas próprias dificuldades:  -Ah! Jesus podia voltar logo!
Quando ouço isso penso comigo: será que queremos que Jesus volte por amor, por desejo de estar ao seu lado? Ou simplesmente para fugir das lutas desta vida?

O que Jesus espera encontrar, na sua vinda?  Vamos analisar apenas três coisas, das várias que Ele espera encontrar:

Fé:  O texto não fala simplesmente da fé que crê em algo. Nós sabemos que apenas crer em Deus não nos salvará. Mas crer, obedecer, perseverar,  manter-se firmes e constantes, é o que nos levará até Jesus. Perseverança é a Palavra chave deste texto. Ele fala em manter a fé, mesmo em meio às dificuldades. A viúva não desistiu de insistir com aquele juiz  iníquo, como o próprio texto fala, mesmo sabendo que poderia não ter as suas petições atendidas.
Temos perseverado e esperado, mesmo quando aparentemente não temos resposta ás nossas orações?

Diferença: Povo seu especial, zeloso de boas obras. Tito 2.14: o texto de  Paulo a Tito traz várias recomendações sobre a vida cristã, recomendações estas indispensáveis a nós. O povo que Jesus espera encontrar deve ser diferente dos outros, pois foi pra isso mesmo que Ele se doou, como diz o versículo 14: “O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.”

Exclusividade:  Jesus nunca poderá levar um povo que tem a metade de seu coração nas coisas mundanas. E estas coisas são explicitamente mencionadas na Bíblia. Em Tiago 1.8 o termo usado para essa pessoa é dobre, inconstante, vacilante. Veja o que diz a versão NVI  “... homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos. “.  O versículo anterior diz: “não pense tal homem que alcançará do Senhor alguma coisa.”  Ou seja, Deus não é tolo, para acreditar em nossas promessas de momentos difíceis, ou nas variações de humor.
O nosso grande problema, mais forte em alguns, é que agimos conforme a situação pede. Ou seja, nos transformamos para o ambiente e situação em que estamos. Por isso se diz que ninguém conhece nem a si mesmo.
Não é isso que Jesus espera.  Onde quer que estejamos, frente a qualquer situação, Ele espera que escolhamos fazer a Sua vontade, e não a nossa.  Nunca podemos esperar ter o amor do mundo, se quisermos, de fato, seguir a Jesus. Ele mesmo deixou claro em S. João cap 15, que não é possível ter os dois. Ou você ama Jesus, ou ao mundo.
A nossa vida cristã não faz sentido, se não houver a esperança da Vinda de Jesus, e uma vida eterna ao Seu lado.
·         O que temos feito para que isso se torne realidade pra nós?
·         Temos esperado Sua vinda com alegria?
·         E mais importante: temos nos preparado para este dia?
 Por Célia Soncella

Continue lendo >>

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Você é Alegre?


Alguém denominou a carta aos Filipenses de “Epístola da Alegria”. A razão é o fato de a carta conter várias vezes as palavras alegria, regozijai-vos, estar alegre. E como Paulo repete estas expressões! Ele tem consciência disso e  assume o fato no cap. 3.1: ” Finalmente, meus irmãos, alegrem-se no Senhor! Escrever-lhes de novo as mesmas coisas não é cansativo para mim e é uma segurança para vocês.” 

Podemos dizer que Paulo era um homem realizado, pleno, feliz, alegre. 
Quando pensamos nessas características, imaginamos alguém realizado profissionalmente, bem casado, com uma família perfeita, com uma excelente situação financeira, muitos amigos, alguém com uma ótima aparência, muita saúde e sem problemas. Mas a situação de Paulo era justamente o contrário: não tinha família, recebia ajuda de outros para sobreviver, se considerava pobre, não tinha mais que um punhado de amigos, saúde frágil e vários problemas com as igrejas que lhe eram queridas, e, além de tudo isso: estava preso. Mas como é possível alguém nessa situação falar de alegria? Isso é inconcebível para as pessoas que não conhecem a Alegria Plena. São pessoas que vivem “momentos de alegria”, de prazer, de satisfação pessoal. 
Mas a vida com Jesus apresenta uma visão muito diferente do que é Alegria. A alegria independe da conta bancária, da realização pessoal, do sucesso profissional, do amor retribuído, do sentimento sarado, da saúde física, do número de amigos que realmente se importam. 
Mas o que realmente é alegria? O dicionário define a palavra como “manifestação de contentamento e júbilo” e “o que causa essa manifestação”. A Alegria causa as manifestações de alegria e júbilo, que são: o sorriso, a dança, o rosto animado, as festas... e não o contrário. Quando se vive das manifestações da alegria, ou dos momentos felizes, nada sobra quando os momentos difíceis aparecem. E eles aparecem! Então, percebe-se que muitas pessoas estão vivendo disso: dos momentos de alegria, deixando de lado o verdadeiro prazer de se viver uma vida plena, de alegria e paz. Somente andando e vivendo com Jesus, pode-se entender esse mistério, pois quando se fala em ser feliz e alegre, em situações difíceis, as pessoas nos olham incrédulas e sem nada entender. 
Pra mim, o ápice da carta de Paulo é o texto que está no capitulo 4.12-13 : “Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece.” 
Paulo entendeu que poderia passar por tudo que lhe era proposto, para se viver ao lado de alguém que poderia realmente trazer a verdadeira alegria: Jesus. ‎"Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente" Sl 16.11

Por Célia Soncella



Continue lendo >>

sábado, 3 de setembro de 2011

Quem é você?

     
Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves dos céus e a todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea."       Gênesis 2:20 

Deus fez todas as coisas, e no final da criação, já no sexto dia, fez o homem, e viu que havia feito um maravilhoso trabalho. No versículo 18 do cap 2. Deus viu que Adão estava só.  Claro, havia os animais, cada um com sua fêmea e Deus deu à Adão a incumbência de dar nome aos animais. Imagino Adão nomeando os animais, macho e fêmea. Mas  olhando pra si, via que não tinha mais ninguém da sua espécie. Estava só.
“Não é bom que o homem esteja só”  Disse Deus.              
Veja a sensibilidade de Deus: criou todas as coisas lindas, natureza, animais, separou céus, terra e mar e a bíblia ressalta que Deus olhava para toda a criação, tudo que criava com o poder de Suas palavras e via que tudo estava bom. Mas ao olhar para a solidão de Adão, Deus “viu” que ele estava sentindo falta de alguém igual a ele. E dentre tantos seres vivos que havia feito “não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea”. 
Nenhum daqueles seres vivos era bom o suficiente para ser companheira de Adão. Uma companheira, auxiliadora idônea para a obra máxima da criação de Deus, teria que ser à sua altura. 
Osso dos ossos e carne da carne de Adão. Tão importante e tão especial quanto ele. Foi assim que Deus criou a mulher. 
A mulher, tanto quanto o homem, é especial. Tantos textos da Palavra do Senhor afirmam isto, embora algumas mulheres não entendam, e deixam que os outros a tratem como não deveria ser tratada, embora muitos homens não entendam e tratem as mulheres da pior maneira possível. Mas esse não é o plano de Deus. Deus nunca desejou isso! 
Você, mulher, é pedra preciosa, menina dos olhos, tesouro escondido, princesa do Senhor... Nunca permita que alguém diga o contrário. 
Você é o que Deus diz sobre você!! Você foi feita de forma admirável e maravilhosa! ( Sl 139:14)   
Por Célia Soncella                             

Continue lendo >>

Total de visualizações de página

Ocorreu um erro neste gadget

  ©Ah! As doces palavras do Pai!! - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo